Parque Florestal de Monsanto

A grande floresta plantada de Lisboa

Aberto no(s) dia(s):

22/23 29/30

24h

Centro de Interpretação de Monsanto, Estrada Barcal

Este parque público está aberto em permanência e pode ser visitado fora da programação do festival.

Da vegetação arbórea que domina o parque, realçamos os ciprestes-do-buçaco (Cupressus lusitanica) e algumas espécies de Quercus: carvalho-português (Quercus faginea), sobreiro (Quercus suber) e a azinheira (Quercus rotundifolia).

É quase impensável imaginar que, há cerca de 100 anos, quase toda a Serra de Monsanto era um local despido de árvores. Iniciada a sua reflorestação nos anos 30 do século XX, o Parque Florestal de Monsanto ocupa agora cerca de 900 hectares de terreno.

A variedade de ambientes e espécies é grande, com vários percursos pedestres por onde se podem fazer excelentes caminhadas no meio das árvores ou descansar nos relvados do Anfiteatro Keil do Amaral.


Atividades relacionadas

22/23 29/30

06:00

Visitas Guiadas

Espaço Biodiversidade de Monsanto ao Nascer do Sol

Na floresta que resultou de um projeto de arborização da Serra de Monsanto, no século passado, há vários locais a descobrir. Numa zona vedada de acesso restrito, percorrido por trilhos definidos e enquadrados por elementos naturais ou que mimetizam um ecossistema natural, podemos encontrar o Espaço Biodiversidade. Um percurso a ser realizado ao raiar do dia, neste espaço representativo do Parque Florestal de Monsanto, onde coabitam espécies animais, vegetais, fungos e líquenes, e onde as paisagens são educativas e contribuem para a formação ambiental dos visitantes.

Orientada por: Fernando Louro Alves (dias 22 e 23), Cristina Brito (29) e Pedro Preto (30)

Ponto de Encontro: Centro de Interpretação de Monsanto

Seguindo as normas e orientações da DGS, esta atividade tem a lotação de 10 pessoas. O acesso é feito por ordem de chegada e é obrigatório o uso de máscara.

22 29

16:00

Visitas Guiadas

Fito-ETAR

Na floresta que resultou de um projeto de arborização da Serra de Monsanto, no século passado, há vários locais a descobrir. Numa zona vedada de acesso restrito, percorrido por trilhos definidos e enquadrados por elementos naturais ou que mimetizam um ecossistema natural, podemos encontrar o Espaço Biodiversidade. Uma oportunidade única para visitar a Fito-ETAR, orientada pela equipa do Parque Florestal de Monsanto, para conhecer o funcionamento de uma ETAR biológica, as diferentes fases envolvidas no processo de tratamento das águas residuais da cidade de Lisboa e todas as vantagens deste sistema de biológico de reaproveitamento de água, onde as plantas têm um papel ativo.

Orientada por: Helena Ramos
Ponto de Encontro: Centro de Interpretação de Monsanto

Seguindo as normas e orientações da DGS, esta atividade tem a lotação de 10 pessoas. O acesso é feito por ordem de chegada e é obrigatório o uso de máscara.

23

09:00

Visitas Guiadas

Sapal — Estuário do Tejo

Onde o Tejo abraça o Atlântico, no abraço das correntes de rio e de água salgada, desenvolve-se um ecossistema dependente do fluxo de marés, sujeito aos ciclos diários de alagamento e água estagnadas. Como resultado, o sapal brinda as margens do estuário com uma vegetação particular, de elevada resistência à salinidade. Uma exploração do sapal junto à Reserva Natural do Estuário do Tejo à espera de visitantes que devem vir equipados: uso de botas, binóculos e muita curiosidade.

Orientada por: Francisco Raposo
Ponto de Encontro: Janela de Observação da Foz do Trancão

Seguindo as normas e orientações da DGS, esta atividade tem a lotação de 10 pessoas. O acesso é feito por ordem de chegada e é obrigatório o uso de máscara.

30

13:30

Visitas Guiadas

Sapal — Estuário do Tejo

Onde o Tejo abraça o Atlântico, no abraço das correntes de rio e de água salgada, desenvolve-se um ecossistema dependente do fluxo de marés, sujeito aos ciclos diários de alagamento e água estagnadas. Como resultado, o sapal brinda as margens do estuário com uma vegetação particular, de elevada resistência à salinidade. Uma exploração do sapal junto à Reserva Natural do Estuário do Tejo à espera de visitantes que devem vir equipados: uso de botas, binóculos e muita curiosidade.

Orientada por: Francisco Raposo
Ponto de Encontro: Janela de Observação da Foz do Trancão

Seguindo as normas e orientações da DGS, esta atividade tem a lotação de 10 pessoas. O acesso é feito por ordem de chegada e é obrigatório o uso de máscara.