Jardim Botânico Tropical

O último jardim mandado erguer pela monarquia e o primeiro grande jardim implantado com a República

Aberto no(s) dia(s):

17/18 24/25

10:00 — 17:00

Travessa Ferreiros a Belém 41

* Visita livre sujeita a limite de lotação

Talvez um dos jardins lisboetas com a maior diversidade de espécies de figueiras tropicais, entre as quais a Ficus religiosa, a Ficus altissima ou a Ficus rumphii.

Foi durante a primeira metade do séc. XVIII que D. João V comprou em Belém várias quintas, permitindo uma extensa área de cultivo, o hortus regius suburbanus. Sempre ligado à família real, esse espaço foi sofrendo várias alterações e acrescentos de terreno, entre os quais os jardins da antiga Quinta dos Távoras.

Em 1906, no reinado de D. Carlos I, foi decretada a construção de um Jardim Colonial, para suprimir a necessidade de preparar agrónomos sobre as várias plantas das colónias portuguesas. As plantas aclimatadas inicialmente na Quinta das Laranjeiras, passaram para o Jardim Colonial em 1914. Classificado como Monumento Nacional e rebatizado como Jardim Botânico Tropical em 2007.

Desde 2015 que este jardim integra a Universidade de Lisboa, sendo atualmente gerido em conjunto com o Jardim Botânico de Lisboa.