Jardim Botânico de Lisboa

Um jardim enraizado na história do Ensino em Portugal

Aberto no(s) dia(s):

17/18 24/25

10:00 — 17:00

Rua da Escola Politécnica 56 e 58

* Visita livre sujeita a limite de lotação

A coleção é vasta, sendo a variedade de espécies de palmeiras e cicadófitas um dos ex libris deste jardim. Também é casa de um exemplar de árvore-do-imperador (Chysophyllum imperiale), espécie relativamente rara e ameaçada de extinção.

O Jardim Botânico de Lisboa, classificado como monumento nacional desde 2010, tem a origem da sua história nos antigos terrenos cedidos para a construção do Noviciado da Cotovia da Companhia de Jesus, no séc. XVI. Após a expulsão dos Jesuítas dos territórios portugueses, em 1759, pelo Marquês de Pombal, o Noviciado e o seu horto foram convertidos no Real Colégio dos Nobres, local de ensino da jovem elite dessa época. Já no século XIX, com a extinção do Real Colégio, D. Maria II decretou ali a instalação da Escola Politécnica e, anexo a ela, a instalação de um Jardim Botânico, inaugurado em 1878.

Este jardim pertence à Universidade de Lisboa.


Atividades relacionadas

17

16:00

Visitas Guiadas

Exposição Plantas e Povos

c/ Raquel Barata

Que usos tem o Homem feito das plantas ao longo da sua história? Em rituais, na medicina, na estética e na arte, na alimentação, nas casas e mobiliário, no transporte, no vestuário… a lista é vasta! Um convite para explorar uma exposição de objetos etnobotânicos e etnográficos, fotografias e filmes sobre o conhecimento etnobotânico tropical das populações africanas, asiáticas e americanas, e a sua incorporação na ciência europeia a partir do império colonial português, com particular ênfase nos séculos XIX e XX.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Rua da Escola Politécnica 56

Esta atividade não requer inscrição.

18

11:30

Visitas Guiadas

Exposição SPECERE

c/ Fernando Serralheiro

Uma coleção de objetos naturais, resultado de dezenas de anos de investigação é fonte inesgotável de estudos futuros. O mundo natural representado num elenco de rochas, minerais, fósseis, aves e mamíferos naturalizados, conchas, insetos, folhas de herbário, coleções em meio líquido incluindo invertebrados marinhos, peixes, répteis e anfíbios. Um convite a “olhar” a diversidade do mundo natural presente na coleção do Museu e, por outro lado, refletir a importância do “olhar” na construção do conhecimento científico.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Rua da Escola Politécnica 56

Esta atividade não requer inscrição.

Outros jardins próximos