Um Jardim para os Sentidos – O Espaço, para Além da Matéria

Array maio

15:00

Orientador: Aurora Carapinha
Local: Jardim Gulbenkian
Ponto de Encontro: entrada do Edifício Sede

Faixa Etária: maiores 16 anos
Lotação: 25 pessoas (participação mínima de 10 pessoas)
Duração: 90 min

Inscrição: entrada gratuita com levantamento de bilhete no próprio dia (1 bilhete por pessoa)

* A visita realiza-se no jardim, independentemente das condições atmosféricas. Os participantes devem trazer vestuário e calçado adequados. A atividade só será cancelada, em caso de condições atmosféricas adversas.

O jardim da Fundação Calouste Gulbenkian foi desenhado pelos arquitetos paisagistas Gonçalo Ribeiro Telles e Manuel de Azevedo Coutinho durante os anos 50-60 do séc. XX. Neste belo jardim, como descreveu Gonçalo Ribeiro Telles, “estamos de facto no mediterrâneo onde a luz é difusa, as folhas estão a funcionar como espelhos durante uma ou duas horas por dia e isso é fundamental para a vida. E há outra coisa que é sonora no nosso jardim, que é a água, que passa de um lado para o outro”. 

Qualquer espaço é constituído por muito mais do que aquilo que os olhos veem. No Jardim Gulbenkian, a luz, os reflexos, as temperaturas e o som da água a correr foram ferramentas aplicadas com um enorme detalhe na construção de ambiências contrastantes, que nos transportam a lugares remotos das nossas memórias.

No Dia Nacional dos Jardins, instituído no dia de nascimento de Gonçalo Ribeiro Telles, a arquiteta paisagista Aurora Carapinha vai guiar-nos através do Jardim Gulbenkian numa descoberta do subtil trabalho com as sensações na construção de um jardim.